Um Acidente E Duas Perspectivas Analiticas: o Grande Terremoto de Lisboa e os Estudos de Edward Paice e de Rui Tavares. - Vol. 39 Nbr. 118, September - September 2013 - EURE-Revista Latinoamericana de Estudios Urbanos Regionales - Books and Journals - VLEX 635838893

Um Acidente E Duas Perspectivas Analiticas: o Grande Terremoto de Lisboa e os Estudos de Edward Paice e de Rui Tavares.

Author:Ultramari, Clovis
 
FREE EXCERPT

UM ACIDENTE E DUAS PERSPECTIVAS ANALÍTICAS: O GRANDE TERREMOTO DE LISBOA E OS ESTUDOS DE EDWARD PAICE E DE RUI TAVARES

Edward Paice--Rui Tavares

[ILUSTRACIÓN OMITIR]

[ILUSTRACIÓN OMITIR]

Este texto resulta da leitura de dois livros considerados seminais para o debate sobre um determinado fenômeno natural, que implicou em grandes impactos sociais e econômicos sobre uma cidade, e que ainda segue lembrado na discussão de adversidades similares de nossa contemporaneidade. Propositadamente, para se discutir um mesmo objeto, optou-se pela leitura de dois livros distintos na aproximaçáo investigativa que lhe dáo. Um, é O pequeno livro do grande terramoto, de Rui Tavares, originalmente escrito em português; outro, é The wrath of God, de Edward Paice. Ambos os autores estão entre os mais recorrentes no resultado de pesquisa no Google, quando se aplica os termos Lisboa e terremoto (seja em inglês, seja em português) e também quando se filtra os resultados para links de origem acadêmica ou resenhas em jornais. A escolha dessas obras e desses autores para essa dupla resenha resulta, pois, não apenas de seus usos como referenciais teóricos em trabalhos pretéritos, mas também das suas reconhecidas recorrências bibliométricas. O objetivo principal desta resenha não é, portanto, o de apresentar e sumariar as obras, mas sim o de sugerir um debate sobre como cada qual adota uma perspectiva científica distinta, para compreender e relatar o conhecimento sobre um mesmo objeto. Ambas as obras foram escritas nos momentos em que se relembraram os 250 anos do grande terremoto de 1775, em Lisboa, e em um contexto global com crescente número de acidentes naturais envolvendo igual crescente número de perdas humanas e materiais.

O assim denominado Grande Terremoto de Lisboa é, na realidade, uma tripla adversidade causal composta da sucessáo temporal de terremotos, ondas gigantes e incêndios que se iniciam no Dia de Todos os Mortos, 1 de novembro. Seu resultado, estimado em termos de mortes, está em aproximadamente 30 mil pessoas: surpreendente, em números absolutos e também em valores relativos para a quarta maior capital europeia e importante porto comercial mundial de então. Tal evento, além de ser mensurado pelo impressionante número de perdas humanas e pela avassaladora destruição urbana que implicou, é também recorrentemente lembrado pelos seus demais impactos diversos e mesmo externalidades. Destes, minimamente seis merecem destaque: 1. O projeto e obra urbanística de reconstrução de Lisboa levada a cabo pelo Marquês de Pombal, homem que atuou em nome do Rei e que teve poderes seguidamente ampliados, sempre justificados pela sua conhecida máxima de "enterrar os mortos e alimentar os vivos"; 2. O debate...

To continue reading

REQUEST YOUR TRIAL